segunda-feira, 12 de novembro de 2007

BEBER E NÃO BEBER JÁ BEBI !

Para ilucidar as minhas prezadas amigas que se interrogam se não bebo ao menos um só copito, tenho a dizer que não senhor!
Fui um grande apreciador e mesmo goloso pelo vinho essencialmente tinto, ou não fosse eu um ribatejano de gema, mas por forças maiores vi-me na obrigação de pôr um ponto final, embora não ligue muito ao facto de viver muito ou pouco,( que venha a minha hora quando o entenderem) ainda tive o cuidado de saber parar quando o caso possivelmente se encaminhava para algo muito prejudicial não só á saúde mas tambem ao ambiente familiar e aí teve o bom senso (acho eu) de travar a queda, de continuar a contribuir para um mau estar que começava a desenhar-se e então fi-lo de livre vontade, sinto-me bem, não me faz falta e contribúi para a felicidade de alguém que não eu.
Cheiro e provo uma gotita nas passagens de ano e nada mais...